↑ Voltar a Relegiões

Imprimir Página

Cristã Evangélica

ce

Símbolo

Cruz (Sem a imagem de Cristo).

O Deus

Deus.

Interpretação da Morte

Os Evangélicos consideram a morte como sendo apenas a separação da alma do corpo. A vida não termina com essa separação. É o início da eternidade da alma, que irá para o Paraíso (Presença de Deus) ou para o Inferno (Afastamento de Deus) de acordo com a fé que a pessoa abraçou enquanto viva.

Com isso, a morte é vista com tristeza (como um ente querido que fará uma longa viagem), mas não com aflição pois acreditam em que haverá o dia que se reencontrarão.

Os Evangélicos acreditam em ressurreição, que se dará no momento da segunda vinda (ressurreição) de Cristo (que hoje se encontra na presença de Deus, intercedendo por todos os Crentes). Quando Cristo voltar seus corpos serão ressurrectos e ganharão corpos incorruptíveis para iniciar uma nova ERA em convivência na presença dele (Cristo reinará com todos os Crentes).

Cremação

A cremação de corpos para os Evangélicos é permitida, sem nenhuma contradição com a fé. O corpo não significa nada. O importante é a Alma.

Doação de órgãos

Uma vez que aquela Alma não está mais ocupando aquele corpo, os Evangélicos não tem nada contra a doação de órgãos e até do corpo todo para ciência. A consciência de cada um é que determina o que se fará do seu corpo.

Suicídio

0 Suicídio é condenado pelos Evangélicos e comparado como um ato de renegar a fé. Entre eles há muitos que pensam que suicida não entrará nos céus. O pensamento mais aceito é que Deus julgará estes casos conforme sua soberania.

Autópsia

Nenhuma restrição é feita.

Eutanásia

Os Evangélicos consideram que o dom da vida é uma dádiva divina e nada deve ser feito para apressar seu fim.

Aborto

Os Evangélicos são contrários (filosoficamente) à prática do aborto, mas aceitam desde que por orientação médica.

Exumação

Nenhuma restrição é feita.

Embalsamamento

Os Evangélicos não vêm nenhuma justificativa para este acto. Uma vez que o corpo não é importante, não há motivo para conservá-lo, mas caso seja necessário fazê-lo (no caso de um translado etc.) fica a critério da família.

Ritual Fúnebre Falecimento

O falecimento na verdade não existe, e sim a separação da Alma do corpo. Constatado o óbito, os familiares deverão, munidos dos documentos legais, contactar uma funerária para que solicite imediatamente o caixão, e seu pronto sepultamento. O corpo é colocado no caixão trajado com roupa (cedida pela família) de uso habitual do falecido(a). É costume se retirar os adornos (anéis, relógio, colar etc.).

O Caixão

A família, dentro das suas condições financeiras, escolhe. Nenhuma recomendação ou prática especial é exigida.

Velório

Os Evangélicos condenam todo ritual ou cerimónia dirigida ao falecido(a). O velório é dirigido para o bem-estar mental, emocional e espiritual dos enlutados. Não é permitido a presença de velas (iluminar o caminho da alma para o Céu). Esta Luz deve ter sido recebida durante toda sua vida de fé, bem como orações específicas em intenção à Alma. O velório pode ser realizado na igreja onde o falecido(a) era membro, ou no próprio cemitério, onde os amigos e familiares expressam a Deus a gratidão por terem convivido com aquela pessoa que está partindo para a Eternidade. A presença do Pastor é importante. A família decidirá em manter o caixão aberto ou fechado, e poderão, caso queiram, deixar o caixão sozinho. Durante o velório, não há restrição quanto a música, flores etc. Desde que isto traga o bem-estar aos enlutados.

Condolências

A necessidade de consolar os enlutados é uma prática dos Evangélicos. Palavras de conforto são dirigidas espontaneamente pelos presentes.

Vestimentas

Os Evangélicos não adoptam a cor preta como de luto. É de bom-tom que os visitantes estejam trajados com cores sóbrias e principalmente trajados decorosamente, com devido respeito e senso de reverência.

Enlutados

São todos aqueles que se sentirem nessa posição, independente do parentesco com o falecido(a).

Quem Pode ir ao Cemitério

Todas as pessoas que assim o quiserem.

Enterro

Os Evangélicos procuram enterrar o mais rápido possível, sem restrição de dia da semana ou datas festivas/religiosas, apenas aguardam os trâmites burocráticos.

Cortejo

Chegando-se ao cemitério o cortejo seguirá directamente para o local do sepultamento, com ou sem uma cerimónia litúrgica.

Luto

Na comunidade Evangélica, não há a prática do Luto.

Após o enterro, a liturgia Evangélica não prevê nenhuma cerimónia, ou seja, missas ou orações em intenção aos mortos. Tampouco prevê descerramento ou inaugurações de túmulos.

Quanto ao túmulo, este poderá ser feito de acordo com a vontade e posses dos familiares.

Não é adoptado o dia de finados como um dia para se reverenciar os mortos, mas nada impede que nesta data ou em qualquer outra os parentes e amigos visitem os túmulos, desde que não acendam velas ou façam rituais ao falecido.